Archive / fotografias

RSS feed for this section

organizar os tecidos

Nem todos os dias são dias de sol, mas estes (os cinzentos de chuva) também podem ser aproveitados, seja a agulhar debaixo das mantas com um cházinho e boa música, a ver um bom filme (sem dispensar as mantas e o chá) ou ainda a terminar a tarefa iniciada com a lavagem dos tecidos.
Peguemos, portanto, onde terminámos
..ah sim.. passar a ferro para os arrumar.
Pois bem, antes de dar inicio a este processo andei a pesquisar: qual seria a organização dos tecidos indicada para mim? 
A ter em conta: gosto de os ver.. inspiram-me; perco muito tempo a desdobrar e dobrar tecido; não gosto de andar à procura do tecido desaparecido (que afinal, na maioria das vezes está mesmo ali!).
Estes factores levaram-me a optar por organizá-los na estante com K-line.
As medidas: a altura e profundidade das prateleiras são as únicas medidas a ter em conta para cortar o K-line. No meu caso, que as medidas das prateleiras são 30(alt.)x28cm(prof.), optei por ter suportes para os tecidos com as seguintes dimenções: 30x15cm.
Depois é cortar!
E já se começa a perceber como vai ficar… Fico tão entusiasmada com o “organizar” que não consigo parar até obter o resultado.. para depois voltar a desorganizar (gosto desta relação saudável e equilibrada que tenho com as minhas coisas e a sua arrumação) =)

Por fim.. passar a ferro. E que fiz foi: dobrei em quadrados os fat quarters e também dobrei os tecidos maiores ou mais pesados (que não permitiam a arrumação com K-line) e dobrei ao meio os tecidos comprados a metro, enrolando-os posteriormente no K-line. Para segurar as pontas utilizei alfinetes de costura.

Estou tão orgulhosa! =D
O resultado.. é como ter uma pequena retrosaria aqui à mão =)
…e depois, é começar tudo de novo, que acabei de receber uma encomenda de lindos tecidos =) ufffff…

cor para os dias cinzentos

Tenho a sensação que os dias cinzentos de chuva já me aborreceram menos, por isso há que combater o “escuro” com cor e música que chega ao peito (Mallu Magalhães).
A agenda da Carla é mais uma das agendas Mint personalizadas. E para os amigos especiais, não poderia ser mais fácil! É a tal história: colocar sentimento no projecto que temos em mãos e ..pronto! Mais nada! 

Esta capa também tem uma banda sonora que poderia muito bem ser a música desta minha tão querida amiga, não que esteja velha e louca, mas porque também “tem a alegria como dom e em cada canto vê o lado bom” (com sotaque e tudo!!) =D

lavar os tecidos

Os tecidos devem ser lavados (ponto)
Os motivos são diversos: quem trabalha com eles, livra-se das porcarias que os tecidos vão acumulando durante a sua produção e armazenamento; quando lavados, os tecidos encolhem o que têm a encolher e debotam o que têm a debotar, não correndo assim o risco de estragar posteriormente uma peça realizada.
Além do mais a lavagem é fácil …e se for feita em dia de sol (como estes que por cá tive) até chega a ser divertido e relaxante.

Coloca-se um tecido num alguidar pequeno com água fria/tépida e deixa-se ficar. Convém que o tecido esteja dobrado  para evitar tirar-lhe a forma.
Passado uns minutos (10/15min) retira-se o tecido da água e enrola-se de forma a tirar o excesso de água – quando os dias começaram a ficar mais nublados, coloquei um lençol de banho na máquina, por cima desta alguns tecidos (5 ou 6) e novamente outro lençol de banho. Liguei o programa de centrifugação, deixando a máquina dar apenas uma volta, o suficiente para o excesso de água ficar nas toalhas. 
Devo salientar: centrifugar demasiado o tecido ou torcê-lo à mão, pode tirar a forma ao tecido deixando-o torto.

Alguns tecidos de cores mais fortes têm tendência a libertar tinta. Nesses casos, deve-se ir renovando a água até que deixe de debotar. Li em vários artigos sobre o assunto, que deitar um punhado de sal na água ajuda a fixar a cor… e assim o fiz.

Tentei perceber por que acontecia, mas a única explicação que encontrei diz que o “cloreto de sódio age é na água, tornando o líquido saturado. Em outras palavras, é como se a água ficasse congestionada, sem espaço para receber a tinta que se soltaria da roupa. O corante acaba não se desprendendo, pois o lugar que ele ocuparia no líquido já está tomado pelo próprio sal. “Assim a tinta deixa de fluir para a água, como seria natural, e permanece no tecido”, diz o químico Mauro Carlos Ribeiro, da USP.” (texto integral aqui)

Após este processo, os tecidos foram pendurados do avesso para o sol (deveriam ser estendidos à sombra, mas desde que se mantenham atentos, o sol não irá estragar os tecidos).
Depois.. depois é só passá-los a ferro. 

Próximo post, organizar os tecidos =)

Dotquilts

Nem apetece escrever. Afinal: palavras para quê? 
Digo-vos apenas que entrei numa loja encantadora (com a maior variedade de tecidos que já encontrei), onde conheci a simpatia da Luísa (com quem conversaria um dia inteiro!) e de onde trouxe um saco cheio de sonhos e vontade! Vale mesmo a pena espreitar =) 

Sobre a Dotquilts.. sei que será assunto recorrente no Mint =)

a coruja para 2013

Não podia deixar passar a oportunidade de aproveitar a imagem de uma das encomendas que me foram feitas neste natal e que tanto prazer me deu produzir.
E não é por acaso que hoje a trago! Os índios acreditam que a coruja traz sorte, e é com essa crença que nos despedimos de 2012 e celebramos a chegada de 2013! 
Que este novo ano nos traga a todos muita serenidade e sabedoria =)
FESTA!!!! 

back on track

Com pouco tempo para o nosso Natal, apressei as tradições cá de casa.. mas não as deixei passar! Eu e a M. decorámos a árvore, colocámos por perto o presépio lindo que fez na escola e na noite de Natal colocámos os sapatos (ou no caso, as pantufas) e esperámos que o Pai Natal viesse enquanto dormíamos. Apesar de não termos deixado o leite e as bolachinhas, ele veio mesmo e deixou um recado à M. – “Continua a porta-te bem! Um beijinho do Pai Natal. HO HO HO”. 
E é tão importante reviver todos os anos a magia do Natal..

Felizmente, o Natal trouxe muitas encomendas e com elas pouco tempo sobrou. Mal tive tempo para fotografar alguns produtos e não tive tempo algum para o blog.
Mas isso acabou! Ainda que com o tempo contado pelas agendas que faltam, ‘I’m back on track’!!

Princesices

Ia perdendo o fio à meada, mas foi por uma boa causa: a minha M. fez anos =)
Foi na segunda-feira e quase faz confusão. Já lá vão 4 anos e ainda me parece ter a sensação de sentir as contracções. Esta coisa pequena (mas a crescer a olhos vistos) saiu de mim, da minha barriga!
Assim que soube que estava grávida nunca mais me senti só.  Muitas vezes recordo a primeira vez que a senti mexer =) ‘um peixinho a borbulhar cá dentro!’ ..foi tão bom! Foi desde muito cedo que comecei a falar para a barriga.E a responsabilidade a aumentar – “Vou educar uma mini-pessoa!”.
A gravidez foi um sonho, ainda que com tudo a que se tem direito, adorei estar grávida =)
E depois nasceu! =D
Outro momento marcante foi a primeira vez que me chamou ‘mãe’, espontaneamente para me pedir algo… ah! Tocou-me no coração, cá mesmo por trás da pele, músculos, ossos.. innn!!
Agora já falo para ela.. muito, sempre! É a minha princesa (foi aliás o mote do dia – princesices!), a minha vida!
Valeu a pena estar afastada da internet?! Oh se valeu! 

tea for two

Um chá (este chá!) torna tudo especial! 
Não existe nada como um pequeno almoço que se prolonga pelo dia até a noite chegar. Com ele boa companhia, lareira, boa música, conversa que lembra cerejas …e bolachinhas. Assim fui recebida pela minha querida Maria.

Lá fora estava um dia gelado! Mas com a lareira a crepitar ..ah(!) haveria melhor cenário para  agulhar? Não creio! Estive a agulhar corações de Natal até mais não! 
Mas confesso.. desta vez não houve música de Natal na cabeça. Houve Ana Moura, Mallu Magalhães, Cícero, Marcelo Camelo… por isso vamos ter que repetir =)

A nossa loja não está em funcionamento, por tempo indefinido. Pelo incómodo pedimos desculpa e agradecemos a compreensão * Our store is not available for an indefinite period. Ignorar